RSS

Este é um espaço para falarmos de culinária, gastronomia, receitas e temperos! Não deixe de dar a sua contribuição!

Mudanças e Afins

Olá queridos leitores! Vim aqui contar algumas novidades para vocês. A primeira (e não é a melhor de todas..) é que vou passar os próximos dias sem postar. Mas é por uma boa causa! O Temperaria está passando por algumas mudanças e reestruturações nessa semana, tudo visando fazer com que a experiência de vocês em nos visitar seja cada vez melhor e mais prazerosa!

Por enquanto estamos fazendo mudanças "internas", como por exemplo hospedagem, redirecionamento, etc. Então vocês não devem sentir muitas alterações nos próximos dias. Mas também estamos trabalhando num layout e numa experiência de navegação novinha em folha para vocês. Devemos implementar tudo nos próximos dias, mas garanto que a espera vai valer muito a pena!

Então é isso. Mas não esqueçam do Temperaria, ok? Prometo que a partir do final de semana já volto com coisinhas novas e deliciosas para todos vocês! São só poucos dias vai, só para dar aquela saudade.. ;-)

Grande beijo e tenham uma ótima semana!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Série Temperos: Orégano


Continuando a nossa série sobre os temperos, agora vamos a outro clássico da culinária brasileira (e de muitos outros lugares): o orégano. Confesso que foi difícil fazer esse post hoje, já que eu estava com fome e na minha pesquisa vi várias fotos de pizzas e molhos suculentos, cheios de orégano, que eu adoro! Aiai, acho que teremos pizza hoje! ;-)

ORÉGANO


Nome Científico: Origanum vulgare L.
Nome Popular: Orégano, oregão, mangerona-selvagem, mangerona-silvestre
Família: Lamiaceae
Divisão: Angiospermae
Origem: Nativa de regiões montanhosas do sul da Europa (Lorrenzi e Matos, 2002) e da Ásia ocidental vegeta espontaneamente em diversas regiões da Europa, inclusive na Grã-Bretanha.
Ciclo de Vida: Perene

HISTÓRIA

A palavra “oregano” tem origem grega, e quer dizer “alegria da montanha”. Para os gregos esta erva possuía a magia de trazer felicidade. Nos casamentos da Grécia antiga, os noivos se coroavam com orégano e plantavam nos cemitérios para assegurar uma vida feliz no outro mundo.




Denominado de origanon (erva amarga) por Hipócrates na Grécia Antiga, o orégano é originário do Mediterrâneo, Norte da África e Oriente Médio. Participando da receita da pizza ficou conhecido no mundo todo. Na Idade Média era usado para curar infecções e dores de ouvido e os medievais utilizavam nas magias. Somente o uso da erva na pizza a tornou popular como tempero, sendo cultivado hoje na Europa, Ásia e Américas.
Apicius, o famoso cozinheiro romano, considerava o orégano essencial no preparo de molhos. Os romanos difundiram o uso do orégano através de seu império. 

APRESENTAÇÃO

O orégano, conhecido cientificamente como Origanum vulgare L., pertence à família Lamiaceae (Labiatae) da qual também faz parte, manjericão (Ocimum basilicul L.), alfavaca (Ocimum gratissimum L.), hortelã (Mentha arvensis L.), alfazema (Lavandula angustifolia Mill.), alecrim (Rosmarinus officinalis L.), sálvia (Salvia officinalis L.). 
Erva perene que pode variar entre 25 a 80cm de altura. É herbácea, com raízes em forma de caules subterrâneos. Bastante ramificada, com folhas pequenas, ovais e pecioladas. Suas flores são pequenas, podendo variar do púrpura ao branco. O óleo essencial desta planta possui cervacol, cimeno, linanol e tonino (substâncias que garantem as propriedades digestivas). 


3 GRS / 9.15 CALORIAS
NUTRIENTES
QUANT.
DDR (%)
DENSIDADE DO NUTRIENTE
CLASS.
VITAMINA K
18.65 mcg
23.3
45.8
excelente
MANGANÉSIO
0.16 mg
8.0
15.7
muito bom
FERRO
1.32 mg
7.3
14.4
muito bom
FIBRAS
1.28 g
5.1
10.1
muito bom
ÁCIDOS GORDOS (OMEGA 3)
0.12 g
5.0
9.8
muito bom
CÁLCIO
47.28 mg
4.7
9.3
bom
VITAMINA A
207.08 IU
4.1
8.1
bom
VITAMINA C
1.52 mg
2.5
5.0
bom


UTILIZAÇÃO NA CULINÁRIA

É um ingrediente imprescindível da culinária italiana, onde é utilizado em molhos de tomate, vegetais refogados, carne e é claro na pizza. Junto com o manjericão dá o caráter da culinária italiana.




Em Portugal os orégãos são indispensáveis na confeção de caracóis, e é usado também em caldeiradas e em saladas de tomate e queijo fresco ou requeijão.




Aparece também, ainda que em menor medida, nas cozinhas espanhola, francesa, mexicana e grega.
Como outras ervas aromáticas, o orégano perde seu sabor se cozido, portanto deve ser adicionado aos pratos sempre no final.


UTILIZAÇÃO MEDICINAL

A partir de estudos recentes, o orégano foi classificado como a planta de mais alta atividade antioxidante, até mais que a vitamina E. O óleo é usado na composição de aromatizantes de alimentos e perfumes além de possuir efeito inibitório sobre diversas bactérias alimentícias e fungos.




- O carvacol, substância contida em suas folhas, ativa as defesas do corpo, além de matar germes na comida
- combate a tosse, bronquite e cólicas intestinais, quando usada como infusão

CULTIVO


É realmente muito fácil cultivar o orégano em casa, mas para que ele se desenvolva e tenha maior longevidade, o ideal é plantá-lo em um vaso de tamanho médio/grande ou ainda em um canteiro ou jardineira. A planta forma moitas rasteiras com flores pequenas na cor púrpura, branca ou rosa e seu plantio deve ser feito em solo leve e rico, que receba luz do sol direta e que seja protegido pelo vento. Necessita de sol e solo bem rico em material orgânico. Adicionar composto orgânico e húmus de minhoca à terra do canteiro.

FONTES:

http://www.alimentacaosaudavel.org/oregaos.html
http://www.sensibilidadeesabor.com.br/oregano.html
http://www.iac.sp.gov.br/Tecnologias/oregano/oregano.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Or%C3%A9gano
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/oregano/oregano.php
http://www.jardineiro.net/br/banco/origanum_vulgare.php

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Pãozinho de Leite Delícia!!

Quando vi essa receita no Panelaterapia tive certeza de que era algo a se fazer. Mandei até um e-mail para mim mesma com o link, só para eu não esquecer dessa delícia! E não é que eu estava certa?

Esse pãozinho é perfeito para comer simples, com manteiga derretendo e cafezinho. Super fácil de fazer, não tem mistério algum e não decepciona. Entrou para a lista das receitas a serem repetidas!

Falem a verdade, vocês não ficam com água na boca?




INGREDIENTES


- 250ml (1 xícara bem cheia) de leite morno (usei integral). Cuidado para não usarem leite quente demais.
- 7g de fermento biológico seco (de pacotinho - pouco mais de 1/2 pacote)
- 2 ovos
- 2 colheres de sopa de açúcar
- 1/2 colher de sopa (rasa) de sal
- 40ml (2 1/2 colheres de sopa) de óleo vegetal (usei de canola)
- 1 colher de sopa (rasa) de manteiga ou margarina (usei margarina)
- 600-700gr de farinha de trigo (usei aproximadamente 620g)


MODO DE FAZER
*um tantinho adaptado do original

- Dissolva o fermento com uma colher de sopa de açúcar em 1/2 xícara de leite morno. aguarde.


- Coloque essa mistura no liquidificador junto com o restante do leite e do açúcar, os ovos, o sal, o óleo e a margarina. Bata todos os ingredientes (não precisa bater muito, só para misturar).
- Coloque numa vasilha, vá juntando a farinha aos poucos, sovando até a massa ficar lisa e soltar das mãos (não coloque farinha em demasia, para não pesar a massa). Sove por uns 5/10 minutos.
- Divida a massa na quantidade de pãezinhos que você quer fazer. Como eu tinha duas lindas ajudantes de 10 e 11 anos, meus pãezinhos saíram de tamanhos variados.


- Coloque em uma forma untada e enfarinhada, deixando um bom espaço entre eles, pois vão crescer bastante. Coloque num lugar quentinho (deixei dentro do forno) para crescerem até dobrarem de volume. Os meus ficaram 1 hora.


- Pré-aqueça o forno por 10 minutos a 180C. Coloque para assar até ficarem douradinhos (demorou 25 minutos no meu forno). Bom apetite!


RENDIMENTO: 14 pãezinhos
TEMPO DE PREPARO: 1 hora e 45 minutos
DIFICULDADE: fácil
PREÇO MÉDIO: R$ 3,50 - R$ 5,00



  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Série Temperos: Manjericão

Em homenagem ao nome do site, Temperaria, resolvi fazer uma série de posts sobre os temperos mais populares da culinária brasileira. Muitas vezes utilizamos os temperos em nossa cozinha mas não sabemos muito sobre eles (de onde vieram, possíveis usos, tipos, etc). Estou gostando bastante de fazer essa pesquisa, pois estou descobrindo um monte de coisas interessantes!

Resolvi começar com meu tempero favorito, o manjericão. Aprendi várias coisas bacanas, incluindo a história do manjericão (sabiam que tem uma deusa hindu que é representada por essa erva?). Vale a pena conferir:

MANJERICÃO


Nome Científico: Ocimum basilicum
Nome Popular: Manjericão, alfavaca, alfavaca-de-jardim, alfavaca-doce, basilicão, basílico, manjericão-de-molho, manjericão-doce, manjericão-grande, erva-real, alfavaca-cheirosa, alfavaca-d’américa, manjericão-branco, manjericão-de-folha-larga
Família: Lamiaceae
Divisão: Angiospermae
Origem: Índia
Ciclo de Vida: Perene

HISTÓRIA

O manjericão é uma planta herbácea, aromática e medicinal, conhecida desde a antiguidade pelos indianos, gregos, egípcios e romanos. Ele é envolto de cultura espiritual e simbologismos, sendo, inclusive, considerado sagrada entre alguns povos hindus, por representar Tulasi, esposa do deus Vishnu. Sua mística espalhou-se pelo mundo, sendo usado, pelos gregos ortodoxos em rituais religiosos, e no interior do México, como “talismã do amor”. Está relacionado com sentimentos de ódio, amor e luto, mas com certeza é mais amplamente conhecido pelos seus poderes culinários.

Tulasi

Devido à forma de suas folhas, (coração), era considerado símbolo do amor, na Itália, e do luto, na Grécia. No século passado, o manjericão era usado pelos sapateiros para atenuar o cheiro do couro.

APRESENTAÇÃO

O manjericão apresenta caule ereto e ramificado, e atinge cerca de 0,5 a 1 metro de altura. Suas folhas são delicadas, ovaladas, pubescentes e de cor verde-brilhante. Ocorrem mais de 60 variedades diferentes de manjericão, com variações na cor, tamanho e forma das folhas, porte da planta e concentração de aroma.

As folhas do manjericão apresentam sabor e aroma doce e picante característico. Elas são utilizadas secas ou frescas na preparação de diversos pratos quentes ou frios, e estão intimamente relacionadas à gastronomia italiana, onde são matéria prima principal de pestos e molhos. O manjericão combina-se perfeitamente com pratos que levam tomate, azeite, limão, carnes vermelhas, massas e queijos. Ele também é produzido em larga escala para a extração de óleo essencial, que é utilizado na indústria de alimentos, bebidas, perfumaria e outros produtos.

UTILIZAÇÃO NA CULINÁRIA


O manjericão é ideal para saladas, pratos de massa, omeletes, sanduíches e molhos à base de tomate. É famoso no preparo de pratos al pesto típicos da cozinha italiana. As folhas do manjericão são muito delicadas. Por ser muito delicado ele deve ser usado na cozinha com muito carinho. Coloque-o sempre por último nos alimentos cozidos para que ele não perca os princípios ativos.


Falando nos princípios ativos, segue uma tabelinha informando o que vocês encontraram de nutrientes nessas deliciosas folhinhas:

3 GRS / 7.58 CALORIAS
NUTRIENTES
QUANT.
DDR (%)
DENSIDADE DO NUTRIENTE
CLASS.
VITAMINA K
48.01 mcg
60.0
143.6
excelente
FERRO
1.28 mg
7.1
17.0
muito bom
CÁLCIO
63.40 mg
6.3
15.2
muito bom
VITAMINA A
281.24 IU
5.6
13.5
muito bom
FIBRAS
1.20 g
4.8
11.5
bom
MANGANÉSIO
0.08 mg
4.0
9.6
bom
MAGNÉSIO
12.68 mg
3.2
7.6
bom
VITAMINA C
1.84 mg
3.1
7.3
bom
POTÁSSIO
103.00 mg
2.9
7.0
bom


UTILIZAÇÃO MEDICINAL

O Manjericão favorece aos que têm digestão difícil, gazes, asia, dores de cabeça em conseqüência de alimentação pesada ou inadequada. Facilita o funcionamento dos intestinos, é diurético. Ë bom para tosses, vômitos, mau hálito. Ajuda, junto com a Malva e a sálvia nas infecções de boca. Também é ótimo para cistite.

- O manjericão tem alto valor energético: contém cálcio, vitamina A e B2. Podemos abusar do manjericão como os italianos, usando-o em pizzas, pães, saladas e molhos.
- Para os convalescentes, um suco de manjericão é o máximo: bata o manjericão no liqüidificador com pouca água, coe o suco em coador fino e sirva com mel.

CULTIVO

Deve-se cultivá-lo sob sol pleno, em solo fértil, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Pode ser plantado em vasos, ou diretamente em canteiros adubados. Suas pequenas flores atraem abelhas e o lugar ideal para o plantio do manjericão é próximo a cozinha, onde ficará disponível ao cozinheiro. Não tolera frio, geadas ou calor excessivo. Aprecia o clima subtropical, tropical e mediterrâneo. Não suporta muitas colheitas subseqüentes, exigindo o replantio. Multiplica-se facilmente por estacas de ponteiro, postas a enraizar na primavera ou por sementes.


FONTES:

http://www.jardineiro.net/br/banco/ocimum_basilicum.php
http://www.hortaemcasa.com.br/mostraproduto.asp?prod=2EAD5E
http://www.aleph.com.br/pleiades/ervas/manjericao.HTM
http://www.alimentacaosaudavel.org/manjericao.html
http://www.sensibilidadeesabor.com.br/manjericao.html

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Camarão com Tomate, Champignon e Requeijão

Desde que eu criei o Temperaria muitas pessoas começaram a me pedir para cozinhar. Volta e meia eu escuto um "quando você vai fazer alguma coisa para eu provar?" ou "guarda um pedaço para mim" ou ainda "vamos marcar um jantar de sua autoria?". Eu acho isso tudo um barato, até porque tenho o maior prazer em cozinhar para meus amigos e minha família (não, não sou do tipo que cozinha mas não come, se deixar eu como tudo! rs).


Combinei com meus pais que tentaria fazer um prato diferente para eles por semana. Como não estou na casa deles todos os dias, tentei marcar todas as quarta-feiras (já furei na semana passada, mas eu estava de férias, o que é uma desculpa muito boa!). Esse foi o primeiro prato que fiz para eles depois desse trato, porque sei que minha mãe adoora camarão.

Eu também gosto de camarão, mas sou meio chatinha para comer. Não gosto de comer camarão em restaurante (tem um restaurante que eu gosto muito e sempre como, mas é a exceção), porque quase sempre acho que o camarão não é bem limpo. Eu tenho uma neura total com a limpeza do camarão, tiro aquela "tripinha" (não achei palavra mais agradável) preta que fica na parte de cima. Sim, eu faço isso com uma faquinha um a um. Muita gente diz que é loucura, que não faz mal, mas não adianta, a neura já existe, então me deixem limpar meus camarões!

Esclarecido esse ponto neurótico da minha personalidade camaronística, vamos ao prato! Servi com arroz branco e batata palha, que são dois acompanhamentos bem simples e que combinam super bem, mas tenho certeza que vocês podem dar ideias ainda melhores para acompanhar. Vamos lá:


INGREDIENTES

- 1/2kg de camarão limpo. Sugiro não utilizar um camarão muito pequeno, porque vai acabar se perdendo em meio ao molho. Eu usei o camarão tamanho M.
- Suco de 1/2 limão
- 1 colher de sopa de molho shoyu
- 1 colher de sopa de alho amassado
- 1 cebola picada
- 3 tomates maduros picados, sem sementes
- 1/2 xícara de molho de tomate pronto
- 2 colheres de sopa de cheiro verde picadinho (coentro fica muito bom, mas na hora eu não tinha)
- 1/2 xícara de champignon fatiado (dos que vendem já cozidos em potes/saquinhos)
- 1 copo de requeijão de sua preferência
- Sal e pimenta à gosto
- Queijo ralado para gratinar


MODO DE FAZER

- Limpe bem os camarões. Tempere-os numa vasilha com o suco de limão, o alho e o shoyu. Reserve na geladeira por 30 minutos (aproveite esse tempo para picar o restante dos ingredientes).


- Coloque a cebola com o azeite numa panela, deixe fritar até ficar transparente. Junte o tomate e o cheiro verde. Deixe refogar até os tomates começarem a desmanchar.


- Junte o molho de tomate, o camarão e o champignon. Abaixe o fogo e deixe a panela semi-tampada por 3-5 minutos, até os camarões ficarem levemente cozidos. Não deixe muito tempo, para não perder o ponto do camarão.


- Desligue o fogo, junte o requeijão, o sal e a pimenta. Coloque numa vasilha de vidro e salpique um pouco de queijo ralado em cima. Leve ao forno pré-aquecido à 210°C até o molho ferver na tigela e o queijo gratinar (o meu demorou 25 minutos).




RENDIMENTO: Suficiente para 4 pessoas.
TEMPO DE PREPARO: 1h10
DIFICULDADE: fácil
PREÇO MÉDIO: R$ 24,00 - R$ 30,00

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Muffins de Queijo, Presunto e Tomate

Andei vendo nos blogs que gosto de visitar algumas receitas de muffins salgados. Eu só tinha feito muffins doces, então resolvi testar. Adaptei um pouco os ingredientes das receitas que li para os ingredientes que eu tinha em casa, e o resultado foi um bolinho super macio e gostoso! Uma excelente opção de lanchinho para o fim de tarde, principalmente com crianças. Aqui em casa todos devoraram!


INGREDIENTES

(resolvi que postaria aqui só depois que comecei a misturar os ingredientes, então não tirei foto dos ingredientes separados)

- 1 1/2 xícara (180g) de farinha de trigo
- 1/2 xícara (120ml) de leite em temperatura ambiente (usei integral)
- 2 ovos
- 4 colheres de sopa de manteiga derretida (temperatura ambiente)
- 1 colher de sopa rasa de açúcar
- 1/2 colher de chá de sal
- 2 colheres de chá de fermento químico em pó (para bolo)
- 1 xícara de queijo picado (usei queijo canastra, uma delícia! mas podem usar qualquer queijo de sua preferência)
- 1 tomate grande picado (sem as sementes)
- 1/2 xícara de presunto picado
- 1 colher de sopa de salsinha picada
- Extrato de tomate para pincelar no topo (opcional, coloquei para ficar bonitinho)



MODO DE FAZER

- Numa travessa misture a farinha de trigo (preferencialmente peneirada, para ficar bem fofinho), o açúcar e o sal. Reserve.
- Em outra tigela misture o leite, os ovos, a salsinha, o tomate, o queijo e o presunto. Junte essa mistura à mistura da farinha, mexendo levemente, só para integrar os ingredientes. Por fim, misture à massa o fermento em pó.


- Coloque a mistura pronta em forminhas untadas e enfarinhadas ou com forminhas de papel forneáveis (próprias para muffins/cupcakes). Não encha a forminha toda, deixe pelo menos 1 cm para que os bolinhos cresçam.


- Se quiser pincele com extrato de tomate só para decorar.
- Coloque no forno pré-aquecido a 180C para assar até que fiquem douradinhos. Os meus demoraram 30 minutos. Retire do forno e deixe esfriar por uns 10 minutos. Ficam uma delícia morninhos!


RENDIMENTO: 9 bolinhos
TEMPO DE PREPARO: 45 minutos
DIFICULDADE: Fácil
PREÇO MÉDIO: R$ 4,50 - R$ 5,50

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS